Planos de aÇão

Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção

O Instituto Boitatá está envolvido nos seguintes PANs:

  • Plano de Ação Nacional para a Conservação de Répteis e Anfíbios Ameaçados da Região Sul do Brasil 2º Ciclo – PANSUL

O 2° Ciclo do Plano de Ação Nacional para Conservação de Anfíbios e Répteis Ameaçados de Extinção da Região Sul do Brasil – PAN Herpetofauna do Sul tem como objetivo a manutenção da diversidade da fauna de anfíbios e répteis da Região Sul do Brasil.

O PANSUL estabelece ações de conservação para 21 espécies de anfíbios e répteis nacionalmente ameaçados de extinção, consideradas como espécies-alvo. São dez anfíbios (Brachycephalus pernix, Cycloramphus diringshofeni, Hypsiboas semiguttatus, Hypsiboas curupi, Ischnocnema manezinho, Melanophryniscus admirabilis, Melanophryniscus cambaraensis, Melanophryniscus dorsalis, Melanophryniscus macrogranulosus, Thoropa saxatilis), seis lagartos (Contomastix vacariensis, Homonota uruguayensis, Liolaemus arambarensis, Liolaemus occipitalis, Stenocercus azureus, Tropidurus imbituba) e cinco serpentes (Apostolepis quirogai, Atractus thalesdelemai, Calamodontophis paucidens, Calamodontophis ronaldoi, Ditaxodon taeniatus), classificados em uma das três categorias de ameaça reconhecidas pela portaria MMA 444/2014: CR (Criticamente Ameaçada), EN (Ameaçada) e Vulnerável (VU).

  • Plano de Ação Nacional para a Conservação das Espécies Ameaçadas da Ictiofauna, Herpetofauna e Primatas do Cerrado e Pantanal – CERPAN

O Plano de Ação Nacional para a Conservação da Ictiofauna, Herpetofauna e Primatas do Cerrado e Pantanal foi estabelecido com base na indicação de enfoque do processo avaliação de espécies ameaçadas, tomando como referência as ameaças indicadas pelos especialistas e as áreas prioritárias para conservação deste grupo.

O CERPAN possui 43 espécies-alvo. Dentre as espécies-alvo, 41 são ameaçadas de extinção segundo listas nacionais (Portarias MMA 444/2014 e 445/2014) e duas estão na lista do estado da Bahia (Portaria SEMA/BA 37/2017). Entre os anfíbios, trabalharemos com quatro espécies (Allobates brunneus, Allobates goianus, Bolitoglossa paraensis, Proceratophrys moratoi), já entre os répteis são 11 espécies (Ameiva parecis, Apostolepis serrana, Apostolepis striata, Atractus hoogmoedi, Bachia didactyla, Bachia psamophila, Hydrodynastes melanogigas, Kentropyx vanzoi, Phalotris multipunctatus, Philodryas livida, Stenocercus dumerilii).