LISTA VERMELHA – IUCN

Atualização da Lista dos Anfíbios Ameaçados de Extinção do Brasil

O objetivo do projeto é atualizar as avaliações do status de conservação de todas as espécies de anfíbios do Brasil para compor a Lista Vermelha da IUCN. Conclusão das avaliações está prevista para Dezembro de 2020.

Em 2004, toda a comunidade de conservação voltou os olhos para os resultados da primeira Avaliação Global dos Anfíbios Ameaçados de Extinção. Sapos, rãs, salamandras e cecílias do mundo todo foram inseridos numa Lista Vermelha única, compilada por pesquisadores de todo o planeta num esforço conjunto da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), juntamente com a International Conservation e a NatureServe.

Em 2009 foi criado a Autoridade da Lista Vermelha para o Grupo de Anfíbios (ARLA), que avaliou as novas espécies descritas, lançando a segunda Avaliação Global de Anfíbios em 2015. Em 2017, a ARLA havia avaliado que 25% das espécies conhecidas estavam em algum risco de extinção, mas estimativas atuais sugerem que  até 50% das espécies de anfíbios do mundo podem estar ameaçadas.

Porém, existe uma grande quantidade de dados para a realização da nova avaliação, e a ARLA tem a meta de que esses resultados sejam produzidos até a CBD COP 2020. Para que essa meta fosse alcançada até 2020, o grupo Global Wildlife Conservation conseguiu apoio de fundos de financiamento para a ARLA possibilitando que esse projeto fosse lançado. Atualmente, aproximadamente 780 espécies de anfíbios são endêmicas do Brasil, e aproximadamente 320 espécies não são endêmicas, ocorrendo em outros países também.

Sendo assim, objetivo deste projeto é atualizar as avaliações de todas as espécies de anfíbios do Brasil para a Lista Vermelha da IUCN. Pretende-se concluir as avaliações até dezembro de 2020. O projeto inclui ainda workshops com pesquisadores brasileiros que validarão os resultados dessa avaliação.

Financiamento

Global Wildlife Conservation (Projeto número 5338-0253).