O status taxonômico de Ischnocnema manezinho, uma especie endêmica e ameaçada da ilha de Florianópolis.

apresentação

 

A parceria entre o Instituto Boitatá e pesquisadores do Laboratório de Herpetologia da UFMG, sob orientação do prof. dr. Paulo Christiano de Anchietta Garcia, tem como foco a rãzinha Ischnocnema manezinho descrita para a Ilha de Santa Catarina (Florianópolis, SC). A espécie se encontra nas listas nacional e da internacional (IUCN) como uma espécie ameaçada em decorrência da restrita área de ocorrência e da rápida descaracterização dos ambientes naturais.

Recentemente, além do local onde a espécie foi descrita, algumas outras populações foram encontradas nas encostas litorâneas continentais de Santa Catarina e na Ilha do Arvoredo. Estes encontros aumentam a área de ocorrência da espécie, no entanto, diferenças bioacústicas e morfológicas apontam para a possibilidade de que as populações localizadas fora da Ilha de Florianópolis possam representar espécies distintas. A correta identificação desta(s) espécie(s) e a descoberta de novas espécies é de extrema importância, pois se for o caso, a área de distribuição da espécie fica restrita a localidade-tipo e suas populações podem estar ainda mais vulneráveis, devido à expansão urbana em Florianópolis.

A aprovação deste projeto junto à Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza garantirá o apoio necessário na geração do conhecimento e informações inéditas sobre a rãzinha Ischnocnema manezinho. Este projeto visa, também, servir de subsídio para zoneamentos e planos de ação que visem a conservação da espécie junto à FATMA (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina), ICMBio e ao PANSul (Plano de Ação Nacional para Conservação da Herpetofauna do Sul), uma vez que os ambientes de encosta do estado de Santa Catarina vêm sofrendo inúmeras pressões com os impactos antrópicos regionais, como agricultura e seus defensivos agrícolas, pecuária, silvicultura, urbanização, exploração imobiliária e geração de energia. Nós assumimos a causa e com esse projeto teremos mais subsídios pela luta da conservação dos anfíbios brasileiros, em especial às espécies ameaçadas.

2 thoughts on “O status taxonômico de Ischnocnema manezinho, uma especie endêmica e ameaçada da ilha de Florianópolis.

  • Boa Noite,

    Por acaso já existe algum documento oficial ou científico que possamos usar para citar nos trabalhos de consultoria ambiental? Gostaria de abordar sobre estas populações continentais, as quais chamamos de Ischnocnema aff. manezinho em nossos trabalhos. Seria interessante poder citar algo para dar ênfase sobre o impacto que os empreendimentos podem causar, no nosso caso as pedreiras, sobre os ambientes de I.aff.manezinho que ainda não sabemos ao certo quem são (espécies novas ou novas pops). Obrigado

    • Obrigado pela pergunta Luiz Ugioni. Atualmente ainda não existe nenhuma publicação que resolva essa questão. O trabalho que a pesquisadora Caroline Oswald está realizando pela UFMG com a nossa parceria é exatamente esse, clarear esta questão. A previsão dos primeiros resultados é para o próximo semestre e iremos divulga-los assim que possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *